Uma das minhas preocupações é oferecer sempre o melhor atendimento em todas as nossas lojas, afinal de contas quero que quando você pensar em mim lembrem que eu, a Eny, sou sinônimo de qualidade e acompanho o seu estilo a cada passo.

É por isso que esta semana os nossos colaboradores estão participando de um workshop com a That’s Me – Beleza Estilo Imagem, empresa catarinense de consultoria em imagem pessoal, visagismo e varejo de moda.

A equipe da That’s Me, formada pela visagista Bel Gomes e pela consultora e estilista Morango Gomes é capaz de fazer uma análise minuciosa do estilo pessoal, das cores mais apropriadas e das formas corporais de cada pessoa. Com esse diagnóstico de cada cliente é possível orientar você na hora da escolha dos seus calçados e acessórios. Trata-se de um serviço de consultoria, baseado na psicologia e linguagem visual.

É claro que eu não podia deixar de conversar um pouquinho com a Morango para pedir algumas dicas para que você compreenda o seu estilo.

Eny: Morango, como uma mulher identifica, entre tantos elementos disponíveis, qual é o seu estilo?

Morango: Os estilos já são conhecidos. Eles têm nome e características. São oito. Como as pessoas não tem esse estudo sobre cada característica, um caminho mais curto para a mulher compreender qual o seu estilo e estar harmonizada com ele é olhar para dentro de si mesma, buscar o autoconhecimento, entender qual a sua essência e escolher das tendências e elementos de moda aquilo que lhe deixa mais confortável, o que lhe faz mais autêntica. Ela vai escolher, por exemplo, um sapato que não a torne artificial e, sim, natural, que ela possa carregar com firmeza e autenticidade e principalmente com conforto porque a mulher de hoje busca isso. Então, o estilo significa a tradução da nossa personalidade, da nossa essência verdadeira. Então, sempre que você é verdadeiro na forma como você se veste, na forma como você se expressa, você está demonstrando o seu estilo.

Eny: Às vezes, as pessoas acham que estarem relacionadas a um determinado estilo vai fazer com que sejam obrigadas a deixar de usar algo que gostam ou a passar a usar algo que não as deixam confortáveis. Então isso não é uma realidade?

Morango: O caminho mais fácil é a gente comprar aquilo que é tendência. As vitrines nos mostram isso, os editoriais nos mostram isso, as revistas nos mostram. Mas o caminho mais interessante é você ser você mesmo, não sofrer tanto as influências externas que nos dizem “compra”, “consuma”, e sim, olhar para você e ver aquilo que é autêntico e combina com você.

DSC_0055

Eny: Tu falavas dessa questão da autenticidade. Como a mulher descobre isso, é observando o tipo de roupa que ela gosta? Os seus hábitos cotidianos?

Morango: Aquilo que você experimenta e exige um grande esforço para que você fique bem está dizendo que há algo de errado. Está dizendo que aquilo não é para você. Existe o produto certo para o meu perfil, eu sempre tenho de experimentar e olhar o que me representa, se aquilo me deixa natural, se não for assim, não é para você.

Eny: Agora existem algumas circunstâncias também, né. Por exemplo, eu tenho um estilo mais esportivo e preciso participar de um outro tipo de evento. Também é preciso estar atento a isso?

Morango: Sim, existe uma questão de adequação. Por mais que você tenha um estilo que seja muito claro e seja reconhecido por ele, em determinados momentos, a vida e até o dia a dia nos pede essa transição. Ter o senso de adequação é muito importante para a mulher contemporânea. Se você tiver a essência de um estilo esportivo, mais natural, mais confortável e jovial, se precisar ir para um ambiente mais formal, é educado, é gentil, que você use a roupa adequada para aquele momento. Isso conta que você é uma pessoa flexível, acessível.

Eny: E quando a gente fala de estilo pessoal e  trabalho?

Morango: Essa é uma questão muito pautada no ambiente corporativo. Para isso, existe uma solução que é o “dress code”. A pessoa quando vai para o ambiente de trabalho precisa deixar um pouco da sua personalidade em casa e servir à personalidade da empresa. Por isso, as empresas hoje se preocupam com roupas, uniformes, ou dress code, que atende a personalidade da empresa e não do indivíduo. A empresa talvez tenha uma linguagem diferente do meu estilo. Você tem de ser gentil, educado e adequado para atender aquela empresa e sua clientela, que tem uma expectativa sobre o colaborador, que vai estar ali e tem que estar alinhada com a da empresa.

Eny: Tu achas que para as entrevistas de emprego isso também conta?

Morango: Conta muito, 55% do que as pessoas imaginam sobre a gente está associado a nossa identidade visual. Existem pesquisas muito importantes que garantem que pessoas que se elaboram visualmente geram mais credibilidade. Com certeza, a pessoa que tem mais cuidados com a imagem pessoal tem ais capacidade de se colocar melhor no mercado de trabalho.

Eny: E as pessoas sempre têm de fazer isso sozinhas ou elas podem buscar por um serviço que possa ajudar nessa identificação?

Morango: Hoje há profissionais, essa condição de ajudar as pessoas a entenderem seus estilos. Mas se você não tiver acesso a esse tipo de serviço, que é mais exclusivo, você recorre a um amigo, a uma amiga. A gente sempre tem um amigo, um familiar, alguém do ambiente de trabalho que tem bom gosto e pode ser nosso conselheiro para esses momentos. Eu sugiro que a pessoa nunca erre por não recorrer a alguém que tenha mais experiência do que ela ou mais informação para ajudá-la a escolher a roupa correta para o momento correto. Sempre tem alguém que nos ajuda.

Agora se você gostou do assunto e quer saber muito mais, tenho uma ideia pra te dar. Até o dia 13 de julho, nas compras acima de R$ 300 na Eny Boutique você concorre a uma consultoria de imagem e estilo com a That’s Me. Serão oito sorteadas. Não perde, não, você vai amar. Estou te esperando.

DSC_0066

Fonte: Eny Calçados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *